A Menina do Sobrado

A Menina do Sobrado

Cyro dos Anjos / Mar 29, 2020

A Menina do Sobrado Mistura de Rubem Braga com Marcel Proust ou do Machado de Memorial de Aires com o pr prio grande cronista que foi Cyro dos Anjos A Menina do Sobrado constitu do de textos breves como cr nicas impre

  • Title: A Menina do Sobrado
  • Author: Cyro dos Anjos
  • ISBN: 8571750459
  • Page: 427
  • Format: Paperback
  • Mistura de Rubem Braga com Marcel Proust, ou do Machado de Memorial de Aires com o pr prio grande cronista que foi Cyro dos Anjos, A Menina do Sobrado constitu do de textos breves como cr nicas, impregnados, por m, de reflex es sutis cujo foco oscila entre os fatos e as experi ncias, o pessoal e o coletivo, os tempos e os lugares, num estilo elaborado mas claro, que inteMistura de Rubem Braga com Marcel Proust, ou do Machado de Memorial de Aires com o pr prio grande cronista que foi Cyro dos Anjos, A Menina do Sobrado constitu do de textos breves como cr nicas, impregnados, por m, de reflex es sutis cujo foco oscila entre os fatos e as experi ncias, o pessoal e o coletivo, os tempos e os lugares, num estilo elaborado mas claro, que integra, sem solu o de continuidade, as lembran as mais pessoais s cita es liter rias mais cl ssicas.

    • [PDF] â Free Read ↠ A Menina do Sobrado : by Cyro dos Anjos Þ
      427 Cyro dos Anjos
    • thumbnail Title: [PDF] â Free Read ↠ A Menina do Sobrado : by Cyro dos Anjos Þ
      Posted by:Cyro dos Anjos
      Published :2019-011-01T12:31:44+00:00

    About "Cyro dos Anjos"

      • Cyro dos Anjos

        Cyro dos Anjos Ciro Versiani dos Anjos , jornalista, professor, cronista, romancista, ensa sta e memorialista, nasceu em Montes Claros MG em 5 de outubro de 1906, e faleceu no Rio de Janeiro RJ em 4 de agosto de 1994.Foi o 13 dos 14 filhos do casal Ant nio dos Anjos e Carlota Versiani dos Anjos Fez o curso prim rio em Montes Claros e come ou seus estudos secund rios, aos 13 anos, na Escola Normal da mesma cidade Em fins de 1923, foi para Belo Horizonte, a fim de estudar humanidades e fazer o curso de Direito na Universidade Federal de Minas Gerais, pela qual se formou em 1932 Durante os anos de faculdade, trabalhou como funcion rio p blico e jornalista Trabalhou no Di rio da Tarde 1927 no Di rio do Com rcio 1928 no Di rio da Manh 1920 no Di rio de Minas 1929 31 em A Tribuna 1933 e no Estado de Minas 1934 35.Depois de formado, tentou a advocacia na sua cidade natal Desistindo da profiss o, voltou imprensa e ao servi o p blico Em Minas, exerceu os seguintes cargos oficial de gabinete do secret rio das Finan as 1931 35 oficial de gabinete do governador 1935 38 diretor da Imprensa Oficial 1938 40 membro do Conselho Administrativo do Estado 1940 42 presidente do mesmo Conselho 1942 45 Foi professor de Literatura Portuguesa na Faculdade de Filosofia de Minas Gerais 1940 46 , na qualidade de fundador.Em 1933, como redator de A Tribuna, publicou uma s rie de cr nicas que seriam o germe do seu mais famoso romance, O amanuense Belmiro 1937 , de an lise psicol gica, escrito na linha machadiana, explorando a vida de um funcion rio p blico da capital mineira.Em 1946, transferiu se para o Rio de Janeiro, onde ocupou, durante o governo Dutra, as fun es de assessor do ministro da Justi a, diretor do Instituto de Previd ncia e Assist ncia dos Servidores do Estado IPASE 1946 51 , e presidente do mesmo Instituto, em 1947 Colaborou tamb m em diversos rg os da imprensa carioca.Convidado, em 1952, pelo Itamarati, a reger a cadeira de Estudos Brasileiros, junto Universidade do M xico, residiu nesse pa s at 1954, quando foi transferido para igual posto na Universidade de Lisboa Em Portugal publicou o ensaio A cria o liter ria 1954.Em fins de 1955 regressou ao Brasil, e, em 1957, foi nomeado subchefe do gabinete civil da Presid ncia da Rep blica Com o governo Kubitschek, transferiu se para Bras lia, onde exerceu, depois, as fun es de conselheiro do Tribunal de Contas e de professor da Universidade Participou da Comiss o designada pelo Governo Federal, em 1960, para planejar a Universidade Nacional de Bras lia, vindo a ocupar a fun o de coordenador do Instituto de Letras da mesma Universidade Ali regeu, na qualidade de professor titular extraordin rio, em 1962, o curso Oficina Liter ria Aposentado em 1976, voltou a residir no Rio N o se desligou das atividades do ensino, continuando a ministrar, na Faculdade da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o curso Oficina Liter ria.Em 1 de abril de 1969 foi eleito o quarto ocupante da Cadeira 24 da Academia Brasileira de Letras, na sucess o de de Manoel Bandeira e recebido pelo acad mico Aur lio Buarque de Holanda em 21 de outubro de 1969.Recebeu os seguintes pr mios liter rios da Academia Brasileira de Letras, pelo romance Abdias 1945 do PEN Clube do Brasil e da C mara Brasileira do Livro, pelos livros Explora es no tempo 1963 e A menina do sobrado 1979.


    858 Comments


    Leave a Reply